Reservatórios da macrodrenagem do Rio Ipitanga acumularam mais de 1 milhão de metros cúbicos de água das chuvas

Três reservatórios da macrodrenagem dos rios Ipitanga e Joanes, um já finalizado, localizado em frente ao Aeroporto, e outros dois em fase de conclusão, próximo ao Restaurante Popular, e na Base Aérea, acumularam mais de um milhão de metros cúbicos de água das chuvas que têm atingido Lauro de Freitas desde a última sexta-feira (24). Sem os reservatórios, todo esse volume retido teria sido direcionado de uma só vez para os rios, aumentando a intensidade das enchentes e o número de pontos de alagamentos.

Estes três piscinões são apenas uma parte das obras de macrodrenagem. Outros três reservatórios estão em fase de construção em áreas estratégicas, e já foram iniciadas as obras para desassoreamento da calha do Rio Ipitanga em um trecho de 5 km, compreendido entre a ponte da insinuante, em frente ao Parque Shopping Bahia, até a confluência com o Rio Joanes, além da construção, já em execução, de seis canais de microdrenagem em diferentes regiões do município. Estas obras deverão diminuir consideravelmente os problemas enfrentados pelo município em períodos de muita chuva.

O projeto de macrodrenagem dos Rios Ipitanga e Joanes, nasceu de um estudo de manejo de águas pluviais feito por empresa contratada pela prefeitura. Os recursos, superiores a R$ 188 milhões, são do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC II). As obras são executadas pelo Governo do Estado por meio da CONDER. No entorno dos reservatórios também são construídas quadras, ciclovias, pistas de patinação, áreas com equipamentos de ginástica e parquinhos, que poderão ser utilizados pela população em períodos de estiagem.

Além destas intervenções em parceria com o Governo do Estado, a gestão municipal realiza de forma recorrente a limpeza de córregos e canais, e a desobstrução das redes pluviais, no entanto, devido ao grande volume de chuvas dos últimos três dias, superior a 187 mm, houve deslizamentos de terra, e diversos pontos da cidade foram alagados. As equipes da Prefeitura seguem de prontidão. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), a previsão para os próximos dois dias é de pancadas de chuva isolada.

Famílias acolhidas

Vinte famílias que foram retiradas de casas localizadas em áreas de risco, nos Bairros de Caji e Caixa D’Água, foram abrigadas pela Prefeitura na Escola Municipal Catarina de Sena, onde estão sendo atendidas por equipes das secretarias de Saúde (SESA) e de Desenvolvimento Social e Cidadania (SEMDESC). No local, estão sendo oferecidas três refeições, colchonetes, e material de higiene pessoal. Por conta da pandemia do COVID-19, as famílias estão em salas separadas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s